Como saber os tipos de textos

Atualizado: 20 de Dez de 2020




O assunto de que tratarei agora é muito importante.


Trata-se da TIPOLOGIA TEXTUAL, um assunto que está em todos os editais de concursos públicos e de vestibulares.

Você sabe a diferença entre descrever, narrar e dissertar?


É indispensável saber o que está sendo pedido no enunciado da prova de redação para não ser eliminado.


Se você quer elaborar bons textos, é necessário que aprenda a reconhecer as características de cada modalidade redacional.


Tradicionalmente, nós temos três tipos de textos:

  • a descrição

  • a narração

  • a dissertação


Os procedimentos discursivos marcam a descrição pela espacialidade, a narração pela temporalidade e a dissertação pela racionalidade.


O redator que descreve trabalha com aspectos; o que narra, com acontecimentos fictícios ou reais; o que disserta, com fatos e juízos.


Hoje, os vestibulares, o Enem e os concursos públicos preferem pedir que os candidatos elaborem uma dissertação, pois querem testar o nível de conhecimento crítico de cada um, pois, se pedissem apenas uma narração, estariam privilegiando a criatividade, apesar de, mesmo os menos imaginativos, poderem elaborar bons textos narrativos apenas seguindo as regras de redação.


DESCREVER consiste em usar as palavras para fazer um “retrato” de seres animados ou inanimados.

Usa-se a enumeração e a comparação para elaborar boas descrições.


Descrever, portanto, é caracterizar, detalhar, observar, enumerar, pormenorizar e retratar.


NARRAR é relatar acontecimentos envolvendo personagens, ação, tempo, espaço, discurso.

Uma boa narração é aquela que faz o leitor se reportar para o lugar onde se passa a cena descrita, é como se, durante a leitura, estivesse passando um filme em nossa cabeça, e a narração nos faz imaginar as personagens e até o modo como elas falam.


Um bom texto narrativo surpreende o leitor a cada momento.


Quem já leu um livro da Agatha Christie, escritora inglesa, sabe bem disso, é como se nos reportássemos para as cenas descritas, além disso, somos surpreendidos a cada momento.


Se eu fosse você, começaria a ler agora mesmo!


De Agatha Christie todos os livros são maravilhosos, eu indico o livro “O caso dos dez negrinhos”, que também pode ser achado com o título “E não sobrou nenhum”.


Em suma, narrar é contar, dinamizar, imaginar, relatar, envolver, surpreender.


Por último, vem a Dissertação


DISSERTAR é expor ou discutir fatos, é desenvolver um raciocínio sobre determinado assunto e apresentar conclusões.

É necessário fundamentar pontos de vista e, no caso de tentar convencer o leitor, desenvolver ideias lógicas.


A dissertação é pautada na objetividade e na forma como os argumentos são apresentados, por isso é importante ter um conhecimento crítico.


Assim, Dissertar é expor, argumentar, opinar, explicar, discutir, justificar, convencer, criticar, questionar, posicionar-se.


É preciso saber que um texto raramente apresenta-se em estado puro, ou seja, totalmente pertencente a uma modalidade de organização discursiva.


Na maioria das vezes, sua classificação se faz pelo predomínio de um tipo sobre os demais.


Quando se tem de elaborar um relatório, por exemplo, usamos a descrição dos fatos, contamos muitas vezes um acontecimento e dissertamos ao indicar as saídas para o problema ao qual nos referimos.


Aprendeu agora as modalidades textuais?


Não é difícil e, com certeza, saber a diferença entre os tipos de textos vai ajudar você.


Um abraço!