Você tem medo de escrever?

3753
0
SHARE

            Você tem medo de escrever? Isso é mais comum do que pensa, é o que se chama grafofobia, mas, calma, isso tem cura. Já tratei de muitos com esse problema e obtive sucesso.

            Durante anos de minha vida profissional, tenho me deparado com pessoas que dizem serem péssimas em redação e que não sabem colocar as ideias no papel, há algumas que até deixam de prestar concurso por medo da redação. E o pior é que esse medo vem desde a infância, pois, nas escolas, onde deveríamos aprender a redigir bons textos e até a gostar de escrever, é que tem início a aversão pela escrita, uma vez que muitos professores utilizam a redação como se fosse uma punição ao aluno (Você não quer prestar atenção à aula? Então saia daqui e elabore uma redação sobre a importância da escola!). E vão destruindo o gosto pela escrita e, acredite, até inibindo os estudantes a falar em público.

            Assim, o ato de escrever foi se tornando um verdadeiro Bicho-papão. Isso acontece também porque a escrita diz muito sobre a pessoa que está redigindo, mostra os conhecimentos adquiridos, o nível de escolaridade, a organização das ideias e as ideologias, enfim “desnuda” o escritor diante do leitor e, para muitos, isso é um verdadeiro obstáculo.

           Escrever bem sempre foi uma atividade de relevância na sociedade. Muito antes de aparecerem os computadores e, consequentemente, a Internet e as redes sociais, o que definia um bom profissional já era, além de sua competência em determinada área de conhecimento, a sua estreita familiarização com o idioma nativo, pois os conhecimentos devem ser compartilhados para garantir o desenvolvimento de qualquer sociedade. No entanto, apesar de saberem disso, muitas pessoas têm pânico ao escrever e até mesmo o envio de um e-mail pode se tornar um verdadeiro suplício.

            Então, você já deve estar se perguntando: Como acabar com esse medo?  O tratamento é simples. Comece com uma boa dose de leitura, pois ela lhe dará conhecimento e vocabulário, o que, certamente, implicará mais segurança para escrever.  A seguir, dando continuidade ao tratamento, estude a gramática, principalmente aqueles assuntos que mais sobressaem na escrita, como a pontuação, o uso dos tempos verbais e a concordância. Depois disso, comece a fazer pequenas anotações para ir tirando os traumas, escreva sobre o que você gosta, sobre seu cotidiano e assuntos interessantes, assim, aos poucos, você vai adquirir gosto pela escrita e, quando precisar escrever sobre o que não gosta, será muito mais simples.

             Pensa que acabou? Claro que não. Agora, procure ser mais objetivo em seus textos, vá direto ao assunto, pois quem fica tentando explicar muito comete mais erros. Além disso, não se esqueça de ser claro ao expor as ideias, o que é conseguido por meio da escrita na ordem direta (sujeito e predicado), que também lhe mostrará a pouca necessidade de uso das vírgulas.

             Por fim, depois de acabar com a sensação de aversão ao escrever, revise seu texto e peça que um amigo de confiança o leia para ajudar a perceber seus erros. Desafie-se, seja persistente, lute contra a acomodação e com certeza seu medo de redigir será vencido. Para começar o tratamento, que tal fazer um comentário aqui embaixo?

Comentários

comentários